APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias

Por: Jessica Bernardo

Notícia

Publicado em 02.10.2022 | 23:43 | Alterado em 04.10.2022 | 15:12

Tempo de leitura: 2 min(s)

Os dez candidatos mais votados para a Assembleia Legislativa de São Paulo neste ano somam juntos 2,6 milhões de votos e vão ajudar seus partidos a conseguir espaço na casa legislativa. O grupo conta com políticos tradicionais, como Eduardo Suplicy (PT), um mandato coletivo, a Bancada Feminista, e três militares.

Responsáveis por elaborar leis que vão vigorar em todo estado, além de fiscalizar as contas do governador e votar o orçamento, os deputados têm papel essencial no dia-a-dia do estado, decidindo sobre temas como aposentadoria de servidores e recursos para saúde.

Este ano, Eduardo Suplicy (PT) lidera a lista dos candidatos mais votados, com 806 mil votos. Político desde 1978, o petista já foi senador, vereador, deputado estadual e deputado federal. O cargo de deputado estadual, inclusive, foi o primeiro que ele ocupou na vida pública, quando ainda era do MDB.

Na sequência dos mais votados aparecem Carlos Giannazi (PSOL), com 276 mil, Paula da Bancada Feminista (PSOL), com 259 mil, e Bruno Zambelli (PL), com 235 mil votos.

A futura deputada, Paula Nunes, faz parte da candidatura coletiva “Bancada Feminista”, que é composta por 5 mulheres periféricas. O grupo fez uma publicação no Instagram agradecendo os votos.

A lista dos líderes de votos continua com Major Mecca (PL), 224 mil votos, Tomé Abduch (Republicanos), 221 mil, André do Prado (PL), 216 mil, Tenente Coimbra (PL) e 209 mil, Delegado Olim (PL), 201 mil. A primeira-dama de Santo André, Ana Carolina Serra (Cidadania), encerra a lista com 198 mil votos.

Três membros de forças militares compõe o grupo dos mais votados, sendo dois policiais e um militar do exército: Major Mecca (PL), Tenente Coimbra (PL) e Delegado Olim (PL).

Nomes periféricos, como o de Milton Leite Filho (União Brasil), e Mônica no Movimento Pretas (PSOL), também tiveram votação expressiva, com 198 mil e 106 mil votos cada. No caso de Mônica, o mandato também será coletivo, assim como o de Paula Nunes, levando seis mulheres negras e periféricas para atuarem em conjunto com ela na Alesp.

Até a publicação deste texto ainda havia sido divulgada apenas as votações, mas não a lista completa de deputados eleitos.

Mais votados para estadual

Eduardo Suplicy (PT) – 806 mil

Carlos Giannazi (PSOL) – 276 mil

Paula da Bancada Feminista (PSOL) 259 mil

Bruno Zambelli (PL) – 235 mil

Major Mecca (PL) – 224 mil

Tomé Abduch (Republicanos) – 221 mil

André do Prado (PL) – 216 mil

Tenente Coimbra (PL) – 209 mil

Delegado Olim (PL) – 201 mil

Ana Carolina Serra (Cidadania) – 198 mil

receba o melhor da mural no seu e-mail

Jessica Bernardo

Jornalista, cria de uma família de cearenses. Apaixonada por São Paulo, bolos e banhos de mar. Correspondente do Grajaú desde 2017.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para republique@agenciamural.org.br

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.